ÁREAS DE ATUAÇÃO

Caxambu

Saiba mais sobre ações da Codemge em Caxambu.

Participação da Codemge no 2º Fórum de Gestão Sustentável do Parque das Águas de Caxambu – 29/9


Apresentação feita durante o evento – Atuação da Codemge no Plano Diretor em Caxambu

Nota – Horário de funcionamento e limpeza das fontes no Parque das Águas de Caxambu

Desde que assumiu a gestão do Parque Lysandro Carneiro Guimarães, a Codemge manteve o horário de funcionamento das fontes.

A fonte Viotti Menor (externa) permanece funcionando diariamente, de 5h às 22h. A limpeza ocorre pelo menos três vezes ao dia, podendo haver breves interrupções para essa finalidade.

As outras 11 fontes existentes ficam dentro do Parque e têm o mesmo horário de funcionamento dele. A limpeza diária dessas fontes internas ocorre sempre pela manhã e, havendo necessidade, também no turno da tarde.

Nota- Justiça defere pedido da Codemge

Em 8/10/18, o Poder Judiciário do Estado de Minas Gerais deferiu o pleito da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge) em ação ajuizada em face do presidente da Câmara Municipal de Caxambu, Senhor Vereador Mário Luiz Alves. O objeto da lide foram as publicações realizadas por ele em seu Facebook, em 2 e 3/8/18, com comentários que ferem a honra e a imagem da empresa. Clique aqui e veja a decisão.

Nota – Gêiser – Nova Interdição

4/10/18 – Durante a obra de recomposição do piso do entorno do Gêiser, foram identificados pontos de vazamento e trincas no invólucro do poço (cogumelo). Além disso, a instalação da estrutura ocorreu entre 2000/2001 e, segundo o fabricante, a vida útil média da fibra de vidro, material do qual o cogumelo é feito, é de 15 anos. Em virtude dessa situação, a atração permanecerá isolada pelos próximos 90 dias, para que as medidas necessárias sejam tomadas, quais sejam, de substituição da peça e de recuperação das conexões.

Acompanhamento – Os serviços de instalação do tapume e retirada do “chapéu” do gêiser localizado no Parque das Águas de Caxambu foram realizados no dia 6/10/18 (sábado). A equipe técnica segue verificando aspectos como tubulação, poço, piso e solo. O local permanece isolado, para que as devidas medidas de reparo sejam providenciadas.

Obras – A interdição na área do gêiser Floriano de Lemos foi iniciada em 26/7/18. A obra de recuperação do gêiser teve início em 13/8/18, com término em 28/9/2018. Os gastos totais foram de R$99.145,65. Durante a intervenção, a Codemge realizou também uma perfilagem ótica no local. Essa técnica consiste na descida de uma microcâmera até o fundo da cavidade, com o objetivo de captar informações sobre os aspectos construtivos e das condições do poço.

Nota – Esclarecimento aos usuários do Parque das Águas de Caxambu

Por medidas de segurança, a administração do Parque das Águas de Caxambu interditou temporariamente, desde 26/7/18, a área do gêiser para que seja realizada intervenção emergencial, em alinhamento com órgãos competentes.

Parte do piso no entorno do gêiser cedeu. A causa identificada desse afundamento envolve erosão por infiltração. O solo na região em que fica localizado o gêiser é formado por material de baixa resistência.

No intuito de verificar, reparar e evitar o agravamento desse dano, além de garantir a segurança dos usuários, o local está interditado para que sejam tomadas todas as medidas corretivas de forma imediata. Tendo em vista a natureza da situação, mesmo com a perícia judicial em curso, a administração está providenciando para que a questão seja resolvida o mais brevemente possível.  

Nesse sentido, a Companhia contratou a Bem Engenharia, empresa credenciada por meio do Edital de Credenciamento 02/17, que realizou visita técnica ao Parque das Águas de Caxambu, em 26/7/18, e que em 8/8/18 começou a mobilização no local para as obras, iniciadas em 13/8/18. A estimativa é de que a intervenção para recomposição do piso seja concluída em até 60 dias, levando em conta a necessidade de procedimento manual e criterioso de escavação e garantindo, assim, a preservação da captação do gêiser.

Registro fotográfico 20/9/18

Registro fotográfico 5/9/18

Registro fotográfico 3/9/18

Registro fotográfico 29/8/18

Registro fotográfico 24/8/18

Registro fotográfico 16/8/18

Registro fotográfico 13/8/18 – Início das obras de recomposição do piso

Sobre a perícia judicial

A Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais assumiu, em 01/10/17, a gestão do Parque das Águas de Caxambu, após mais de 25 anos sob gestão da Prefeitura Municipal, encontrando o local em situação precária de conservação e manutenção.

Quando assumiu a gestão, o balneário já estava fechado pela Prefeitura, devido à ausência de manutenção. Diante da negativa por parte da Prefeitura em assinar o termo de entrega e recebimento do Parque, a empresa ajuizou, em 10/11/17, ação visando à realização de perícia judicial para constatação da situação do mesmo (processo 0028312-76.2017.8.13.0155). A Justiça autorizou a perícia em 12/12/17, sendo que os trabalhos periciais começaram em 12/3/18 e seguem em andamento, a fim de levantar os reparos necessários em face da inexistência de adequada manutenção e cuidados mínimos com o ativo público.

A operacionalização completa do Parque depende da finalização dessa perícia judicial. Enquanto aguarda o término da perícia, a Companhia está investindo na limpeza e na manutenção constante do Parque, além de estar recebendo os usuários sem interrupção ou descontinuidade. A Empresa manteve a política de acesso ao parque para os cidadãos de Caxambu, quanto a horário de entrada, valores de ingresso e volume de água disponível, por exemplo.

A Companhia agradece a compreensão de todos.

Ofício enviado ao Iepha – Gêiser Parque das Águas Caxambu (7/8/18)

Carta enviada pela Codemge ao Gabinete da Prefeitura de Caxambu (24/8/18)

Carta enviada à Codemge pelo Vice-Presidente da Câmara Municipal de Caxambu (16/7/18) – Resposta da Codemge aos questionamentos da carta (13/8/18)

Carta enviada à Codemge pelo Gabinete do Presidente da Câmara Municipal de Caxambu (2/8/18) – Resposta da Codemge aos questionamentos da carta (13/8/18)

Carta enviada à Codemge pelo Gabinete da Prefeitura de Caxambu (3/8/18) – Resposta da Codemge aos questionamentos da carta (13/8/18)

Apresentação da Codemge sobre o Parque das Águas em audiência pública na Câmara Municipal de Caxambu (24/8/18)

 

EPTV veicula matéria sobre Gêiser do Parque das Águas de Caxambu.

Clique na imagem abaixo para assistir.

 

Nota de Esclarecimento da Codemig/Codemge – Parque das Águas de Caxambu

Um artigo publicado no site e em página do Facebook do Jornal Arte 3 nesta quinta-feira, 2/8/18, acerca do Parque das Águas de Caxambu, faz menção indevida à Codemig. Em resposta, a Empresa vem prestar seu posicionamento e os seguintes esclarecimentos, em favor do processo ético, dialógico e transparente valorizado pela Companhia e em contraponto à desinformação observada no conteúdo divulgado no referido texto.

  1. O artigo “Caxambu, em memória das águas minerais – Que Brasil você quer para o futuro?” fala em “colocar o dedo na ferida da Codemig” e comenta que o Balneário do Parque está fechado. A verdade é que a Codemig/Codemge assumiu, em 01/10/17 ― portanto, há menos de 1 ano ―, a gestão do Parque das Águas de Caxambu, após mais de 25 anos sob gestão da Prefeitura Municipal, encontrando o local em situação precária de conservação e manutenção, como se verifica nas imagens que seguem.

  2. O autor chega a dizer “que ninguém faz nada”. A verdade é que, historicamente, entre 2007 e 2009, a Companhia investiu cerca de R$ 7,5 milhões em obras de reforma, restauro e aquisição de móveis e utensílios para o Balneário de Caxambu, além de R$ 400 mil para pintura em  2014, mais R$ 79 mil para levantamentos cadastral e de diagnóstico dos Fontanários e do Coreto em 2017 e outros quase R$ 80 mil para individualização das drenagens dos três poços da Fonte Mayrink até a Fonte Venâncio em 2017. Apesar de todos os investimentos feitos pela Companhia no Parque, a própria situação atual demonstra que não houve manutenção adequada por parte da Prefeitura, então responsável pela gestão do empreendimento.

  3. Sobre o Balneário, a verdade é que, quando a Companhia assumiu a gestão do Parque, em outubro de 2017, o local já estava fechado pela Prefeitura, devido à ausência de manutenção. A Codemig/Codemge recebeu o imóvel em estado de completa deterioração e péssimo estado de conservação. Diante da negativa por parte da Prefeitura em assinar o termo de entrega e recebimento do Parque, a Codemig/Codemge ajuizou, em 10/11/17, ação visando à realização de perícia judicial para constatação da situação do mesmo (processo 0028.312-76/2017.8.13.0155), de maneira clara e evidente. A Justiça autorizou a perícia em 12/12/17, sendo que os trabalhos periciais começaram em 12/3/18 e seguem em andamento, a fim de levantar os reparos necessários em face da inexistência de adequada manutenção e cuidados mínimos com o ativo público. A operacionalização completa do Parque depende da finalização dessa perícia judicial. A Codemig/Codemge está aguardando que a perícia seja encerrada para que possa iniciar os trabalhos de restauração e manutenção das instalações. A Empresa reconhece o estado lastimável em que recebeu o empreendimento e está comprometida em restaurar o Parque para o benefício da população de Caxambu.

  4. Enquanto aguarda o término da perícia, a Companhia está investindo na limpeza e na manutenção constante do Parque, além de estar recebendo os usuários sem interrupção ou descontinuidade. A Empresa manteve a política de acesso ao parque para os cidadãos de Caxambu, quanto a horário de entrada, valores de ingresso e volume de água disponível, por exemplo. Ou seja, não houve qualquer alteração na relação do Parque com a comunidade. Além disso, desde que assumiu a gestão do Parque das Águas de Caxambu há menos de 1 ano, a Codemig vem promovendo diversas ações de preservação, manutenção básica e melhoria imediata no empreendimento:
    – Pintura geral dos meios fios, passeios e escadas de todo o parque;
    – Reforma das quadras de tênis e do parque de brinquedos;
    – Limpeza diária de todas as fontes e dos sanitários do parque;
    – Desobstrução da tubulação de água do gêiser, normalizando o fluxo diário de água;
    – Revisão da parte elétrica das fontes, com reparo de tomadas, troca de lâmpadas e elevação do quadro de força da quadra de tênis, mitigando riscos de choques;
    – Renovação de sinalização dos portões de acesso;
    – Manutenção das calçadas;
    – Limpeza geral do gramado e dos jardins;
    – Capina ao redor do lago;
    – Vigilância e segurança contínuas;
    – Aquisição de mobiliário de piscina;
    – Limpeza do quiosque do Chico Cascateiro ao lado do Rinque de Patinação;
    – Instalação de placas direcionais e explicativas ao longo do Parque;
    – Colocação de urna de ouvidoria para dúvidas, reclamações e sugestões;
    – Informatização da bilheteria do Parque, inclusive com a possibilidade de compras online.

  5. Sobre o gêiser localizado no Parque, o autor do artigo diz que lhe disseram que o solo está afundando e que, então, o gêiser não pode funcionar. A verdade é que, por medidas de segurança, a administração do Parque das Águas de Caxambu interditou temporariamente, desde 26/7/18, a área do gêiser para que seja realizada intervenção emergencial. Parte do piso no entorno do gêiser cedeu. As possíveis causas desse afundamento são erosão por vazamento ou infiltração. O solo na região em que fica localizado o gêiser é formado predominantemente por turfa, material de baixa resistência. No intuito de verificar, reparar e evitar o agravamento desse dano, o local está interditado para que sejam tomadas todas as medidas corretivas de forma imediata. Tendo em vista a natureza da situação, mesmo com a perícia judicial em curso, a administração está providenciando para que a questão seja resolvida o mais brevemente possível. A empresa Bem Engenharia, credenciada por meio do Edital de Credenciamento 02/17, foi acionada pela Codemig/Codemge para realizar visita técnica ao local, o que fez no último dia 26/7 – seguem fotos registradas na ocasião. Após isso, a Bem Engenharia está se mobilizando para iniciar a resolução da situação a partir do próximo dia 8/8. A estimativa é de que a intervenção seja concluída em 60 dias, levando em conta a necessidade de procedimento manual e criterioso de escavação.

  6. Cabe pontuar que, entre outras ações de fomento realizadas pela Codemig/Codemge na região, estão: revitalização do Theatro Palace Casino de Poços de Caldas (R$ 8,4 milhões); reforma do Parque do Marimbeiro (R$ 477 mil), em Cambuquira; reforma e revitalização do Parque das Águas de Contendas (R$ 1,5 milhão), em Conceição do Rio Verde-MG; reforma do Balneário de Pocinhos do Rio Verde (R$ 2,7 milhões), em Caldas, e no Cassino de Lambari (R$ 12 milhões), importantes empreendimentos culturais e de significativo valor histórico. Além disso, com o objetivo de fomentar o desenvolvimento regional, a Companhia realizou a doação de três parques aos seus respectivos Municípios: Cambuquira (Parque das Águas, totalizando 1.141.591 m² de área doada, com valor avaliado em R$ 16.285.000,00); Lambari (Parque das Águas, 3.362,95 m², R$ 1.043.965,19, além do Lago Guanabara e da Mata, que juntos somam cerca de 125 hectares e R$ R$ 30.993.000,00); e Conceição do Rio Verde (Parque das Águas Contendas, 93.324 m², R$ 3.455.000,00). A Codemig/Codemge chegou a propor a doação do Parque das Águas de Caxambu ao Município, que não aceitou.

Por fim, ressalta-se que a Companhia tem assumido a gestão de empreendimentos de sua propriedade, tendo criado, inclusive, uma Coordenação de Parques e Balneários, dentro da Gerência de Promoção e Comercialização de Ativos, conferindo especial atenção a essa frente de ação.

 

Nota – Entrada gratuita no aniversário da cidade

Em comemoração ao aniversário de 117 anos de Caxambu, no dia 16 de setembro, domingo, o Parque das Águas funcionará das 7h às 18h, com entrada gratuita a todos os frequentadores. O acesso ocorrerá somente pela portaria principal (Rua João Carlos, nº 100, Centro).

Para obter outras informações, gentileza consultar a portaria. 

 

Nota – Furto no Parque das Águas de Caxambu ocasiona falta de água e luz

A Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge), responsável pela gestão do Parque das Águas de Caxambu, informa que, após constatar furto de parte da fiação de cobre no local, registrou Boletim de Ocorrência junto à Polícia Militar no dia 24/4/2018. A PM esteve no Parque, verificou a situação e registrou o crime. A Polícia estimou que mais de 240 metros de fios de 50mm e 70mm, além de fiação fina, tenham sido cortados e retirados do Parque, o que corresponderia a pelo menos 100 quilos de material.

Devido ao ato de vandalismo, o Parque das Águas está temporariamente sem luz, desde a fonte Venâncio até a Portaria do Bosque. O fato ocasiona, ainda, a falta de água no empreendimento, já que o abastecimento da caixa d’água foi interrompido.

A Codemge está tomando as providências necessárias para que o funcionamento do Parque seja normalizado o mais brevemente possível. Para tanto, é necessário realizar a compra de novo material, em substituição ao que foi furtado, e a contratação de mão de obra.

Como ente público, a gestora do empreendimento terá de promover essa aquisição por processo licitatório. Considerando que o Conjunto Paisagístico e Arquitetônico do Parque das Águas de Caxambu é tombado pelo Estado, a intervenção deve ocorrer também em alinhamento com o Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG).

A Codemge lamenta o ocorrido, que, além de lesar o bem público e prejudicar a prestação de serviços à comunidade e o turismo local, acarreta prejuízo econômico e financeiro à sociedade e ao Estado.

Boletins de Ocorrência

Boletins de ocorrência referentes ao Parque das Águas estão disponíveis abaixo.

BO – 31/10/17

BO – 10/02/18

BO – 24/04/18

BO – 30/04/18

 

Clique aqui para conhecer o Plano de Aproveitamento Econômico (PAE) da Estância Hidromineral de Caxambu.

Parque das Águas de Caxambu

O Parque das Águas Dr. Lisandro Carneiro Guimarães é conhecido por suas águas minerais terapêuticas e conta com área de 210 mil metros quadrados, contendo um gêiser, um coreto, esculturas e diversos outros elementos paisagísticos e mobiliários, além de 10 fontanários de águas minerais, cada uma delas com propriedades diferentes. O empreendimento oferece atrações para todos os gostos e idades, com suas trilhas, quadras de tênis e vôlei, ringue de patinação, playground e teleférico, por exemplo.

Desde o dia 1º de outubro de 2017, a Empresa assumiu o Parque das Águas de Caxambu e vem promovendo diversas ações de preservação, manutenção básica e melhoria imediata no empreendimento:

– Pintura geral dos meios fios, passeios e escadas de todo o parque;
– Reforma das quadras de tênis e vôlei e do parque de brinquedos;
– Limpeza diária de todas as fontes e dos sanitários do parque;
– Desobstrução da tubulação de água do gêiser, normalizando o fluxo diário de água;
– Revisão da parte elétrica das fontes, com reparo de tomadas, troca de lâmpadas e elevação do quadro de força da quadra de tênis, mitigando riscos de choques;
– Renovação de sinalização dos portões de acesso;
– Manutenção das calçadas;
– Limpeza geral do gramado e dos jardins;
– Vigilância e segurança contínuas.

A Companhia também manteve a política de acesso ao parque para os cidadãos de Caxambu, quanto a horário de entrada, valores de ingresso e volume de água disponível, por exemplo. No mês de outubro, foram emitidos 10.313 ingressos ao todo, arrecadando-se cerca de R$ 39 mil. Em outubro, foram realizados ainda três eventos de grande porte no local: Congresso da Anpocs; Encontro Dedo de Prosa da Terceira Idade – Hotel Glória; Mountain Bike e Corrida Noturna de Atletas.

Para realizar eventos no local, acesse o Regulamento Geral de Eventos no Parque das Águas, que contém explicações sobre os processos para a contratação do espaço, as regras de utilização e a tabela de preços. Verifique, também, o Formulário para Solicitação de Orçamento.

Confira fotos do Parque das Águas de Caxambu sob gestão da Codemge.

    

   

  

   

   

   

  

O conjunto arquitetônico e paisagístico do Parque das Águas integra o cenário urbano de Caxambu e a história da cidade. Os prédios do balneário, do engarrafamento de águas, dos fontanários e do coreto configuram um acervo arquitetônico, abarcando tipologias como ecletismo, art nouveau, art decó, neoclássico e moderno. O parque também conta com mobiliário valioso, a exemplo das obras do Chico Cascateiro, das peças que decoram o balneário e da estátua Ninfa do Lago. Há também jardins, um lago ornamental e outro lago, de maiores dimensões.

Destacam-se as fontes de água mineral, com suas propriedades medicinais e seus pavilhões que as tornam únicas. São elas: Dona Leopoldina; Conde D’eu e Princesa Isabel; Duque de Saxe; Beleza; Dom Pedro; Viotti; Venâncio; Mayrink; e Ernestina Guedes.

Leia aqui decisão judicial de 20/02/18, referente ao processo licitatório para seleção de parceiro privado para a constituição de sociedade em conta de participação destinada à exploração do negócio de águas minerais nas cidades de Cambuquira e Caxambu.

 

Codemge promove workshop sobre o desenvolvimento do Parque das Águas de Caxambu – Maio/2018

O Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge), promoveu o workshop “Turismo e Negócios: Parque das Águas de Caxambu”. A reunião teve o objetivo de tecer, em conjunto, propostas para a gestão do espaço. Realizada em Belo Horizonte em 4/5/18, a iniciativa recebeu o prefeito de Caxambu, Diogo Curi, vereadores, representantes do setor hoteleiro, do comércio e do Ministério Público, lideranças de organizações da sociedade civil e representantes da Codemge. O evento contou também com a presença do deputado federal Newton Cardoso Jr.

Foram levantadas contribuições dentro de quatro eixos principais: uso do espaço, governança, sustentabilidade econômica e parcerias. Os participantes comentaram sobre atividades de preservação do local, tanto do ponto de vista ambiental quanto do patrimônio histórico. Também sugeriram uma gestão colaborativa, envolvendo os diversos atores sociais, e a construção contínua, junto à comunidade de Caxambu, de um senso de pertencimento e proximidade com o Parque das Águas.

No curto e médio prazos, os pontos mais mencionados dizem respeito à segurança e à infraestrutura do espaço. Novos momentos de diálogo devem ser realizados, para desdobrar as contribuições e estruturar, de forma participativa, um plano de atividades para orientar as ações de desenvolvimento do Parque das Águas.

O prefeito Diogo Curi ressaltou a importância do Parque para Caxambu. “A cidade se desenvolveu a partir das águas minerais, e são elas que movimentam toda a cadeia do turismo, a atividade mais importante de Caxambu. É fundamental essa aproximação do município com a Codemge, que é gestora desse patrimônio. A partir desse encontro, vamos trabalhar juntos na construção de novas possibilidades e projetos para o Parque das Águas de Caxambu”, afirmou.

Discussão colaborativa

Realizado no auditório do P7 Criativo, o workshop seguiu um formato diferente: o encontro foi conduzido dentro de uma metodologia que tem por objetivo criar um ambiente em que todos se sentem confortáveis para opinar e chegar a soluções verdadeiramente inovadoras e colaborativas. Tiago Belotte, facilitador do processo, explica que temos a tendência de “pegar carona” em pontos que já foram levantados por outros participantes, além de defender nossas opiniões de forma instintiva. “Criamos aqui formas de interação que quebram esses hábitos e permitem alcançar soluções mais abrangentes para os desafios apresentados”, explica Tiago.

Parque das Águas de Caxambu

Com 210 mil m² de área, o Parque das Águas de Caxambu tem 12 fontes de águas minerais, gasosas e medicinais, com diferentes propriedades. Além da bela paisagem, o Parque conta com um completo balneário hidroterápico, oferecendo banhos de imersão em água mineral, piscina de hidroterapia, saunas a vapor e secas, duchas e tratamentos estéticos.

Desde o dia 1º de outubro de 2017, a Codemge assumiu o Parque das Águas de Caxambu e vem promovendo diversas ações de preservação, manutenção básica e melhoria imediata no empreendimento, como:
• Pintura geral dos meios fios, passeios e escadas de todo o parque;
• Reforma das quadras de tênis e vôlei e do parque de brinquedos;
• Limpeza diária de todas as fontes e dos sanitários do parque;
• Desobstrução da tubulação de água do gêiser, normalizando o fluxo diário de água;
• Revisão da parte elétrica das fontes, com reparo de tomadas, troca de lâmpadas e elevação do quadro de força da quadra de tênis, mitigando riscos de choques;
• Renovação de sinalização dos portões de acesso;
• Manutenção das calçadas;
• Limpeza geral do gramado e dos jardins;
• Vigilância e segurança contínuas.

A Empresa também manteve a política de acesso ao parque para os cidadãos de Caxambu, quanto a horário de entrada, valores de ingresso e volume de água disponível, por exemplo.

O Parque das Águas recebeu também ações de cunho educativo e turístico, realizadas com o apoio do Governo do Estado, por meio da Codemge. Em comemoração pelo Dia Mundial da Água, celebrado em 22 de março, o Parque contou com a visita de centenas de crianças e adolescentes, que puderam conhecer melhor o espaço, nos dias 22 e 23/3/18. Entre 26 e 29/3, o Senar Minas realizou em Caxambu o curso “A Arte de Conduzir Trilhas e Roteiros”, pelo qual os 11 participantes visitaram e avaliaram pontos turísticos como o Parque das Águas e o Morro do Cristo.

A Codemge está trabalhando pela revitalização do Circuito das Águas, com o objetivo de resgatar e valorizar a região como um importante destino turístico para todo o Brasil. O Governo de Minas Gerais, por meio da Codemge e em parceria com prefeituras, vem investindo no potencial turístico do Circuito das Águas e na gestão das águas do Sul do estado, que constituem um valioso patrimônio mineiro.

     

      

Parque das Águas de Caxambu recebe ações educativas e turísticas com apoio da Codemge – Março/2018

O Parque das Águas de Caxambu, no Território Sul, recebeu ações de cunho educativo e turístico, realizadas com o apoio do Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge). Em comemoração pelo Dia Mundial da Água, celebrado em 22 de março, o Parque contou com a visita de centenas de crianças e adolescentes, nos dias 22 e 23/3, que puderam conhecer melhor o espaço. Entre 26 e 29/3, o Senar Minas realizou em Caxambu o curso “A Arte de Conduzir Trilhas e Roteiros”, pelo qual os 11 participantes visitaram e avaliaram pontos turísticos como o Parque das Águas e o Morro do Cristo.

Na quinta-feira, 22/3, três escolas visitaram o Parque. Os estudantes assistiram ao vídeo da Empresa e receberam uma cartilha informativa sobre o espaço, especialmente preparada para a ocasião. As crianças ganharam um desenho para colorir. Na sexta-feira, 23/3, uma ação da Prefeitura de Caxambu, com o apoio da Codemge, promoveu um abraço simbólico das crianças no Parque. Elas também cantaram uma música em frente ao balneário, comemorando o Dia da Água.

Já o curso do Senar Minas permitiu que os alunos propusessem um novo roteiro de ecoturismo, valorizando o potencial da Observação de Aves no Parque Natural Municipal das Laranjeiras, localizado no trecho da BR 354 entre Caxambu e Pouso Alto. Foram realizadas atividades práticas de educação ambiental, técnicas de condução de grupos e elaboração de roteiros. Com isso, os participantes vivenciaram diversas atividades teóricas e práticas, em um total de 32 horas, podendo compreender melhor o planejamento e a formatação de trilhas ecológicas e a importância de se implementar uma boa sinalização turística. O curso foi realizado em parceria com o Sindicato Rural de Baependi, a Prefeitura de Caxambu e a Codemge.

Veja a seguir mais fotos das ações especiais realizadas em Caxambu.

Dia Mundial da Água

     

  

 

Curso do Senar Minas

   

   

  

  

Codemig assume a gestão do espaço

dsc_5574-redDesde o dia 1º de outubro de 2017, a Codemig assume o Parque das Águas de Caxambu. A transição teve início no sábado, 30/9, quando foram entregues as chaves do Parque à Codemig. Na segunda-feira, 2/10, a equipe designada pela Codemig esteve reunida no balneário do Parque com representantes da Prefeitura e da Câmara Municipal de Caxambu, para tratar do levantamento dos ativos do espaço.

Em clima de parceria entre as partes, os vereadores em sua maioria, assim como o prefeito, desejaram boas-vindas à empresa e manifestaram seu apoio e a confiança de que a Codemig pode e vai fazer o melhor pelo Parque. “O Parque não merece estar como está. Caxambu vive através do Parque”, afirmou o vereador Jean Carlos. “Confio muito em vocês. A palavra empenhada é muito importante. Meu voto de confiança é na competência da Codemig em fazer o que vocês estão dizendo”, declarou a vereadora Jenny Aragão.

A conferência do patrimônio será realizada, por meio de vistoria, pela Codemig juntamente com a equipe da Prefeitura nos próximos dias.

O que permanece e o que muda

O acesso dos turistas, bem como da comunidade, será mantido da forma como é hoje, com o horário de funcionamento de 7h às 18h e valores de R$5,00 para os visitantes e R$2,50 para os moradores. Em relação à passagem para o bairro Bosque, a Codemig verificará a situação, considerando que a possível existência de portaria não oficial implicaria falta de segurança aos usuários do Parque e Balneário.

Após a vistoria realizada, a Codemig irá realizar obras, priorizando a recuperação dos ativos. Isso se dará por meio de manutenção das grades, passeios, revitalização da comunicação visual do espaço, além de melhorias em calhas, telhado, equipamentos (duchas, banheiras, sauna) e instalações (rede de água quente, louças, metais, bomba, dranagem), além de limpeza geral e revitalização de pisos e paredes, por exemplo. 

Esclarecimento 10/10/2017

O Parque das Águas de Caxambu está, desde o dia 1º de outubro, sob administração da Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerias (Codemig) e não será privatizado. A primeira ação da Codemig será providenciar a recuperação do parque e do balneário, visto que o balneário está inativo há alguns meses em face da ausência da manutenção da caldeira.

Em relação à exploração das águas, atualmente, a Codeáguas (subsidiária da Codemig) é a empresa responsável por este serviço. A Codemig realizou consulta pública na busca por parceiros para as águas com objetivo de viabilizar os negócios e potencializar seu dinamismo, além de ampliar o público-alvo das águas minerais e valorizar a eficiência na prestação dos serviços à população. Desde que reassumiu a unidade de negócios de águas minerais, a Codemig tem mantido a atividade produtiva e conservado os ativos em patamares adequados de operação, apesar dos contínuos prejuízos registrados. Para que as marcas da Codemig sejam competitivas no mercado, é imprescindível que haja ampla distribuição e efetiva penetração em grandes redes. Sendo uma empresa pública, seus processos de compra e venda são regidos pela Lei de Licitações, o que restringe sua operação ao reduzir significativamente a competitividade e a agilidade necessárias ao atendimento de seus clientes. A Codemig ressalta que está trabalhando para manter viável o negócio de águas minerais, buscando um parceiro dotado de aptidão na atividade. Nesse sentido, a Codemig propõe um modelo de negócio tipo sociedade em conta de participação (SCP – Água Mineral) na busca de um parceiro para celebrar uma sociedade em que a Companhia será sócia participante, com um quantitativo de ações inferior a 50%. Mais detalhes sobre esse modelo podem ser vistos no contrato disponível no link da consulta pública: http://www.codemge.com.br/licitacoes/CODEMIG/47-17/ dentro de “Minuta edital e anexos”.

 

Águas minerais

A Codemge é detentora da concessão das fontes de águas minerais das marcas Araxá, Caxambu, Cambuquira e Lambari. Desde que reassumiu a unidade de negócios de águas minerais, a Empresa tem mantido a atividade produtiva e conservado os ativos em patamares adequados de operação, apesar dos contínuos prejuízos registrados. Mais informações, clique aqui.

 

Patrocínio

A Codemig patrocinou o Festival Mundial de Circo, ocorrido em outubro/15 em Caxambu, por meio de convênio com o Centro Internacional de Referência do Circo (CIRC). O valor investido pela Codemig foi de R$ 300.000,00.

 

Espetáculo da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais

20170716_174807O Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Codemig e a da subsidiária Codeáguas Águas Minerais, levaram a Caxambu a mais tradicional orquestra do estado, para um concerto gratuito com regência do maestro Sérgio Gomes e em parceria com a Prefeitura Municipal de Caxambu. A Orquestra Sinfônica de Minas Gerais se apresentou no Parque das Águas no dia 16/7/17. Segundo os administradores do Parque, aproximadamente 3 mil pessoas estiveram no balneário para assistir ao espetáculo gratuito de música clássica. A Codemig investiu cerca de R$ 75 mil nessa ação.

20170716_183746O diretor de Serviços da Codemig, José Vieira Filho, esteve presente no evento, destacando o papel e o compromisso da Codemig como indutora do desenvolvimento. Ele ressaltou a importância de Caxambu como destino turístico e patrimônio do estado. Presidente da Codeáguas, Pompílio Canavez também participou do encontro.

Para o prefeito de Caxambu, Diogo Curi Hauegen, a apresentação da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais representou um marco na cultura e no turismo de Caxambu, proporcionando uma noite inesquecível ao público.

20170716_174519O repertório incluiu trechos de óperas famosas do mundo todo e peças contemporâneas da música nacional, interpretando composições de Bizet, Brahms, Carlos Gomes, Rossini e Tchaikovsky, entre outros. A Orquestra Sinfônica de Minas Gerais (OSMG) faz parte do corpo artístico da Fundação Clóvis Salgado e completou, no ano passado, quatro décadas de história.

 

Pesquisa geoambiental no Circuito das Águas de Minas Gerais (2018)

O Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais (Codemge), está realizando o Projeto de Pesquisa do Circuito das Águas, no Território Sul. Os estudos buscam atualizar e aprofundar os conhecimentos técnico-científicos sobre áreas das fontes hidrominerais da Companhia na Bacia do Rio Verde, abrangendo as estâncias de Caxambu, Conceição do Rio Verde, Cambuquira e Lambari. A iniciativa é importante para ampliar a compreensão da origem e dos fatores influenciadores das águas minerais na região. Viabilizada mediante contrato com a Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa (Fundep), a ação conta com investimento de R$ 1.997.800,00, oriundos da Codemge.

O contrato foi assinado em dezembro de 2017 e tem vigência de 15 meses, até março de 2019. Iniciado em janeiro de 2018, o projeto está na 15ª semana, correspondente à etapa de Geofísica. Essa fase deve durar 28 dias, até o dia 14/05. Nesse período, uma equipe de pesquisadores e consultores do Observatório Nacional conduzirá os estudos. A pesquisa geofísica envolve a utilização de equipamentos de medição de propriedades físicas do maciço rochoso e do solo, por meio de sensores, fiação e cabos elétricos. Nenhuma dessas atividades causa danos ou prejuízos às propriedades e a seus ocupantes.

O desenvolvimento do Projeto Circuito das Águas se dá mediante a condução sistemática de investigações hidrogeológicas específicas, contemplando as seguintes etapas: Compilação e Preparação; Pesquisa Geológica e Geofísica; Pesquisa Hidrológica e Climatológica; Pesquisa Hidrogeológica; Pesquisa Hidrogeoquímica; Pesquisa das Águas Minerais; Síntese e Integração; Pesquisa Socioeconômica; Sondagem; e Geoprocessamento.

A equipe técnico-científica principal do projeto é constituída por mais de 20 integrantes, entre professores, pesquisadores, estudantes de graduação e pós-graduação e auxiliar de administração, vinculados à Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), à Fundep e/ou outras instituições. O trabalho culminará na entrega do Relatório Final e do Sistema de Informações Geoambientais do Circuito das Águas (SIGA), até dezembro de 2018, além de resultados de análises laboratoriais sobre amostras de rochas e águas.

Atualização e aprofundamento

O projeto está sendo executado em consonância com estudo anterior, publicado em 1999, denominado Projeto Circuito das Águas do Estado de Minas Gerais, disponível no site da Companhia. A pesquisa de quase duas décadas atrás foi elaborada com base em convênio entre o Serviço Geológico do Brasil (CPRM) e a Companhia Mineradora de Minas Gerais (Comig), atual Codemge. Desde então, foi marcante o avanço do conhecimento geológico sobre a região, que, atualmente, se encontra completamente coberta com mapeamento geológico e levantamentos aerogeofísicos realizados sob as bases do conhecimento técnico-científico dos anos 2000.

Agora, com o novo projeto de 2018, as informações serão atualizadas e expandidas, considerando o avanço dos métodos analíticos capazes de gerar dados de grande precisão e alto poder interpretativo, nas áreas da Geofísica, Geoquímica e Hidroquímica, por exemplo, os quais podem ser incorporados ao conhecimento da Hidrologia das fontes hidrominerais. Além disso, os estudos geoambientais observarão a legislação ambiental vigente e as demandas contidas no Plano Diretor da Bacia do Rio Verde.

O projeto inclui estudos tectono-geofísicos, petrográficos e geocronológicos, integrados a estudos hidrológicos e de investigações hidrogeológicas, voltados à caracterização química das águas, sua origem, dinâmica de circulação e descarga natural e/ou induzida. Além de aprofundar o conhecimento sobre o funcionamento hídrico dessas áreas hidrominerais de interesse público, a iniciativa vem subsidiar o ordenamento técnico-normativo de sua gestão e conservação hidroambiental, em curto, médio e longo prazos, diante da atual ocupação urbana e fatores potenciais de contaminação das águas subterrâneas (fontes, poços), entre outros aspectos com potencial influência para sua caracterização como recurso natural e bem socioeconômico.

A Fundep

A Fundação de Desenvolvimento da Pesquisa é uma pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com autonomia administrativa e financeira. Sua atuação abarca atividades de execução e gerenciamento de projetos de pesquisa em parceria e cooperação com organismos públicos e privados, visando à produção, promoção e divulgação do conhecimento técnico-científico. Para tanto, congrega equipes especializadas em áreas diversas do conhecimento, incluindo geologia e recursos naturais do território, além de seus desdobramentos socioeconômicos. A entidade já desenvolveu mais de 20 mil projetos e atividades. É um órgão de apoio a pesquisas realizadas pela UFMG e outras instituições parceiras.

A Fundep tem sido parceira do Estado de Minas Gerais na execução do mapeamento geológico e levantamento de recursos minerais do território estadual. Junto com a Equipe de Geologia e Recursos Naturais, participou da execução dos projetos Espinhaço, Sul de Minas, Alto Paranaíba, Norte de Minas, Fronteiras de Minas Gerais e Triângulo Mineiro, os quais produziram a cobertura cartográfica na escala 1:100.000 de 350.000 km2 ou 60% do território mineiro, acompanhados de documentos explicativos com informações e bancos de dados em plataforma SIG, disponíveis no Portal da Geologia. Também realiza atualmente o projeto Recursos Minerais de Minas Gerais On Line, contratado pela Codemge para promover a ampla divulgação do conhecimento sobre esses bens, incluindo as águas minerais do Estado.

Clique aqui para ter acesso à apresentação do Projeto Circuito das Águas.

 



Voltar